Image Map

Este site foi criado em 2008 pela Colibri&Associados e KBRTec com o objetivo de recuperar, digitalizar e compartilhar o acervo do Prêmio Vladimir Herzog desde a sua origem, em 1978. A iniciativa contou com o apoio financeiro e logístico do Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil (UNIC Rio) e do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo no âmbito das comemorações dos 60 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

A Petrobrás e o Prêmio Vladimir Herzog

A ditadura militar, que vigorou no Brasil entre 1964 e 1985, é um período que não pode ser apagado da nossa história. Nesse sentido, o Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos cumpre um papel importante em nossa sociedade ao reverenciar em seu nome a memória do jornalista que foi preso, torturado e morto nas dependências do DOI-Codi, além de reconhecer profissionais que colaboram atualmente com a promoção da democracia, cidadania e dos direitos humanos e sociais.

Ao patrocinar projetos como este, a Petrobras reafirma seu compromisso com o Estado Democrático de Direito. Especificamente em relação aos esclarecimentos dos fatos da ditadura, a companhia deu sua contribuição ao entregar ao Arquivo Nacional, em 2013, o acervo de investigações políticas de sua antiga Divisão de Informações (DIVIN). O material consiste de 426 rolos de microfilmes, que guardam 131.277 fichas de controle resultantes de “investigação político-social” sobre seus empregados.

Com a disponibilidade do acervo no Arquivo Nacional, os cidadãos brasileiros ganham mais uma ferramenta para conhecer esse capítulo do nosso passado recente. A Petrobras, por sua vez, garante a transparência, conforme a Lei de Acesso à Informação (Lei 12.527/2011), e efetiva o direito à memória e à verdade, objetivo da Lei 12.528/2011, que criou a Comissão Nacional da Verdade.

Política de Responsabilidade Social

A política de Responsabilidade Social da Petrobras define como um dos compromissos da companhia o respeito e apoio aos direitos humanos reconhecidos internacionalmente, pautando suas ações a partir da promoção dos princípios do trabalho decente e da não discriminação. Alinhada às estratégias da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, a Petrobras atua no enfrentamento da exploração sexual de crianças e adolescentes, na erradicação do trabalho infantil e em condições análogas às de escravo e na promoção de equidade de gênero e raça.

INSCRIÇÕES: 15 DE JULHO A 15 DE AGOSTO DE 2016






Premiação: 25 DE OUTUBRO DE 2016, 20H, NO TUCARENA (SP)

Sobre esta edição | Regulamento | Vencedores 2016


Comissão Organizadora

› Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo - ABRAJI
› Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil UNIC Rio
› Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo
› Conectas Direitos Humanos
› Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil - OAB Nacional
› Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo ECA/USP
› Federação Nacional dos Jornalistas - FENAJ
› Instituto Vladimir Herzog
› Ouvidoria da Polícia do Estado de São Paulo
› Ordem dos Advogados do Brasil Secção São Paulo
› Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo
› Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação - INTERCOM

O Prêmio | Trabalhos Premiados | Regulamento | Inscrições | Contato

Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos
2016 - Todos os Direitos Reservados