Este site foi criado em 2008 pela Colibri&Associados e KBRTec com o objetivo de recuperar, digitalizar e compartilhar o acervo do Prêmio Vladimir Herzog desde a sua origem, em 1978. A iniciativa contou com o apoio financeiro e logístico do Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil (UNIC Rio) e do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo no âmbito das comemorações dos 60 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

A Petrobrás e o Prêmio Vladimir Herzog

A ditadura militar, que vigorou no Brasil entre 1964 e 1985, é um período que não pode ser apagado da nossa história. Nesse sentido, o Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos cumpre um papel importante em nossa sociedade ao reverenciar em seu nome a memória do jornalista que foi preso, torturado e morto nas dependências do DOI-Codi, além de reconhecer profissionais que colaboram atualmente com a promoção da democracia, cidadania e dos direitos humanos e sociais.

Ao patrocinar projetos como este, a Petrobras reafirma seu compromisso com o Estado Democrático de Direito. Especificamente em relação aos esclarecimentos dos fatos da ditadura, a companhia deu sua contribuição ao entregar ao Arquivo Nacional, em 2013, o acervo de investigações políticas de sua antiga Divisão de Informações (DIVIN). O material consiste de 426 rolos de microfilmes, que guardam 131.277 fichas de controle resultantes de “investigação político-social” sobre seus empregados.

Com a disponibilidade do acervo no Arquivo Nacional, os cidadãos brasileiros ganham mais uma ferramenta para conhecer esse capítulo do nosso passado recente. A Petrobras, por sua vez, garante a transparência, conforme a Lei de Acesso à Informação (Lei 12.527/2011), e efetiva o direito à memória e à verdade, objetivo da Lei 12.528/2011, que criou a Comissão Nacional da Verdade.

Política de Responsabilidade Social

A política de Responsabilidade Social da Petrobras define como um dos compromissos da companhia o respeito e apoio aos direitos humanos reconhecidos internacionalmente, pautando suas ações a partir da promoção dos princípios do trabalho decente e da não discriminação. Alinhada às estratégias da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, a Petrobras atua no enfrentamento da exploração sexual de crianças e adolescentes, na erradicação do trabalho infantil e em condições análogas às de escravo e na promoção de equidade de gênero e raça.

Home - Sobre esta edição

ENTREGA DO 38º PRÊMIO JORNALÍSTICO VLADIMIR HERZOG DE ANISTIA E DIREITOS HUMANOS ACONTECE EM 25 DE OUTUBRO

Cerimônia será no Tucarena, em São Paulo, precedida da 5ª Roda de Conversa com os jornalistas premiados

No próximo dia 25 de outubro, terça-feira, será realizada a cerimônia de entrega do 38º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos. O evento é público e acontece às 20h, no Tucarena, em São Paulo.

Esta edição bate novo recorde de trabalhos inscritos e aceitos para análise do corpo de jurados: foram 567 trabalhos sobre temas que valorizam a democracia, a cidadania e os direitos humanos que competiram em oito categorias: Artes (ilustrações, charges, cartuns, caricaturas e quadrinhos), Fotografia, Documentários de TV, Reportagem de TV, Rádio, Jornal, Revista e Internet.

Os grandes homenageados da noite com o Prêmio Vladimir Herzog Especial serão os jornalistas Elio Gaspari e Cláudio Abramo (in memoriam) pelo conjunto da obra e suas contribuições ao jornalismo brasileiro. Desde 2009, a Comissão Organizadora do Prêmio Vladimir Herzog indica personalidades para serem agraciadas com o Prêmio Especial por relevantes serviços prestados às causas da democracia, paz e justiça.

Roda de Conversa

Na tarde de 25 de outubro, das 14h às 18h, acontece a 5ª Roda de Conversa com os vencedores da 38ª edição do Prêmio Vladimir Herzog. O evento, gratuito e aberto ao público, é voltado especialmente para alunos dos cursos de comunicação e tem o propósito de compartilhar conhecimento sobre os métodos e técnicas de algumas das reportagens mais importantes da imprensa brasileira, desde a elaboração das pautas até a apuração, fontes e entrevistas.

O encontro será realizado no Tucarena (ao lado do TUCA) e transmitido pela internet, ao vivo, por meio do link www.tvpuc.com.br. Para que o material esteja acessível a um maior número de pessoas, constituiu-se novamente um pool de cobertura e transmissão*.

A coordenação da Roda de Conversa é do jornalista Sergio Gomes, diretor da OBORÉ, coordenador do Projeto Repórter do Futuro e conselheiro do Instituto Vladimir Herzog. A produção é de Aldo Quiroga, professor e repórter /apresentador da TV Cultura de São Paulo, e Ricardo Matias, coordenador da TV PUC. Neste ano, a mediação é dos professores e jornalistas Angelina Nunes e Paulo Oliveira. A atividade conta com o apoio da Federação dos Professores do Estado de São Paulo – FEPESP.

Sobre o Prêmio

Criado em 1978, o Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos foi uma iniciativa da família Herzog, do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo, Comitê Brasileiro de Anistia, Comissão de Direitos Humanos da OAB-SP, Movimentos de Anistia, FENAJ-Federação Nacional de Jornalistas e Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo. Seu intuito é reconhecer e premiar anualmente jornalistas que, por meio de seu trabalho, contribuem para a promoção dos direitos humanos, cidadania e democracia, homenageando personalidades, profissionais e veículos de comunicação que se destacam na defesa desses valores fundamentais.

O Prêmio Vladimir Herzog é promovido e organizado, atualmente, por doze instituições: Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo – ABRAJI; Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil – UNIC Rio; Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo; Conectas Direitos Humanos; Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo – ECA/USP; Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ; Instituto Vladimir Herzog; Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB Nacional, Ordem dos Advogados do Brasil/Secção São Paulo, Ouvidoria da Polícia do Estado de São Paulo, Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo e Sociedade Brasileira dos Estudos Interdisciplinares da Comunicação – Intercom.

SERVIÇO

38º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos

Cerimônia de premiação
Data: 25 de outubro, terça-feira
Horário: 20h
Local: TUCARENA | Rua Monte Alegre, 1024 – Perdizes – São Paulo (anexo ao TUCA)

Comissão organizadora | Promoção:
Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo - ABRAJI
Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil – UNIC Rio
Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo

Conectas Direitos Humanos
Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil
Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo – ECA/USP
Federação Nacional dos Jornalistas - FENAJ
Instituto Vladimir Herzog
Ouvidoria da Polícia do Estado de São Paulo
Ordem dos Advogados do Brasil – Secção São Paulo
Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo
Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação - INTERCOM

Patrocínio: Petrobrás

Apoio: PUC-SP, TUCA, Câmara Municipal de São Paulo, Federação dos Professores no Estado de São Paulo - FEPESP e OBORÉ

5ª Roda de Conversa com os ganhadores do Prêmio Vladimir Herzog
Data: 25 de outubro, terça-feira
Horário: das 14h às 18h
Local: Tucarena (anexo ao TUCA)

Organização:
OBORÉ Projetos Especiais
Federação dos Professores do Estado de São Paulo – FEPESP

Pool de transmissão e cobertura:
Canal Universitário de São Paulo
TV PUCSP
TV Fepesp
TVT – TV dos Trabalhadores
TV Câmara Municipal de São Paulo
TV FPA – Fundação Perseu Abramo
Superintendência de Comunicação Social da USP
Abraji – Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo
OBORÉ Projetos Especiais | Projeto Repórter do Futuro
Instituto Vladimir Herzog


SAIBA MAIS

- Sessão Pública de Julgamento

No dia 7 de outubro, a Comissão Organizadora do Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos esteve reunida na sala Oscar Pedroso Horta da Câmara Municipal de São Paulo, em sessão pública e transmissão ao vivo, para a escolha dos vencedores desta 38ª edição.

Na primeira etapa de julgamento, entre 29 de agosto e 27 de setembro, foram julgados 567 trabalhos, recorde da década, e que contou com a participação de 24 jurados, representantes de quase todos os estados do país. Já na segunda fase, a comissão julgadora foi composta por dez dirigentes das entidades organizadoras e avaliou trabalhos que obtiveram as três maiores notas em cada categoria.


- Quem são os vencedores

- Quem foi o Júri de 1ª etapa

- Ata da Sessão de Julgamento Público (2ª etapa)

O Prêmio | Trabalhos Premiados | Regulamento | Inscrições | Contato

Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos
2017 - Todos os Direitos Reservados